Google se posiciona contra temas controversos e também redireciona propaganda terrorista para vídeos educativos.

 

O Google anunciou quatro medidas para interromper o compartilhamento de mídias com conteúdo terrorista no YouTube. Com a recente onda de ataques na Europa, autoridades do continente têm pressionado plataformas digitais a tomarem um posicionamento contra a disseminação do discurso de ódio. Recentemente, o Facebook anunciou o uso de Inteligência Artificial nesse combate. Veja medidas do Google para o tema e entenda cada uma.

1. Máquinas mais inteligentes para barrar conteúdos

Segundo o Google, essa tarefa é complicada, porque um vídeo sobre terrorismo pode tanto ser apenas uma reportagem informativa, como um vídeo incitando o ódio. Até hoje, a empresa já analisava 50% do conteúdo relacionado ao tema, mas agora promete criar novos classificadores de conteúdo e melhorar o aprendizado das máquinas para barrar o extremismo e vídeos publicados no YouTube.

2. Aumentar o time de especialistas em censura

As máquinas são um grande passo, mas a inteligência humana é ainda fundamental para decidir o que é discurso de ódio. Para isso, já existe o Trusted Flagger do YouTube, um programa de usuários da plataforma que têm boa precisão em identificar o extremismo. No entanto, agora o Google contrata 50 ONGs que trabalham em áreas relacionadas ao terrorismo, auto-mutilação e discursos de ódio, aproveitando quem tem expertise no assunto para ajudar.

3. Maior posicionamento contra conteúdos controversos

Vídeos que vão contra o posicionamento político do YouTube, com caráter supremacista, por exemplo, serão interrompidos durante a transmissão com avisos contrários ao seu conteúdo. Além disso, o Google não irá monetizá-lo, não irá sugerir em “vídeos recomendados” e também não será possível fazer comentários. Os vídeos terão menos interação e como consequência será mais difícil encontrá-los. A empresa entende que isso não fere a liberdade de expressão e, ao mesmo tempo, consegue amenizar a disseminação de discursos de ódio.

4. Redirecionar vídeos com mensagem terrorista

O Estado Islâmico cresce devido à sua potente propaganda online, notoriamente muito persuasiva. A medida do Google é usar uma propaganda contrária ao extremismo, que irá aparecer sempre que o usuário entrar em contato com a mensagem terrorista. Esse método já vem sendo aplicado pela Europa: ''em implementações anteriores deste sistema, os potenciais recrutas clicaram nos anúncios e assistiram mais de meio milhão de minutos de conteúdo de vídeo que desencorajam as mensagens de recrutamento de terroristas ", afirma a empresa.

Quanto custa um ERP?

Final da TV Analogica

Os pilares da Inovação de Marca