O preço médio do metro quadrado para venda de imóveis residenciais caiu 3,14% em 2018 até agosto. Em 12 meses, a retração alcança a cifra de 4,42% já descontando a inflação acumulada no período.

As informações são do Índice FipeZap, divulgados ontem. De acordo com o relatório, o mercado imobiliário começou a cair menos, sinalizando que o ponto mais agudo da crise no setor já tenha terminado – apesar do desempenho fraco e que reflete uma economia morosa.

Exemplo disso é que em agosto, na comparação com julho, os preços pedidos se mantiveram estáveis (-0,06%), enquanto a inflação, medida pelo IPCA, ficou em 0%.

De acordo com o indicador, o comportamento dos preços em agosto não foi homogêneo entre as cidades monitoradas. “Avaliadas individualmente, só 6 das 20 cidades monitoradas registraram aumento mensal de preço acima de +0,1%”, detalhava o Índice FipeZap, destacando a alta de 0,3% verificada na cidade de Goiânia (GO).

Por outro lado, entre as nove cidades monitoradas que apresentaram queda nominal no preço inferior a -0,10% em agosto, os recuos mais expressivos foram notados em Florianópolis (-0,49%), Porto Alegre (-0,40%) e Niterói (-0,34%), todos em termos nominais.

No topo da lista

O Rio de Janeiro, que continua com o título de metro quadrado mais alto do País (R$ 9,4 mil o m²), também é a praça com retração mais acentuada nos preços em 12 meses.

Segundo o relatório, a queda em um ano soma 4,2%. Na sequência aparecem Niterói (-3,3%) e Santos (-2,07%). Na outra ponta, o destaque positivo foi a cidade de São Caetano (+2,9%), Vitória (2,3%) e Goiânia (2,33%).

Quanto custa um ERP?

Final da TV Analogica

Os pilares da Inovação de Marca