ANO 05 – INFORMATIVO Nº 73 – GLOBALBLUE

*REDAÇÃO| WWW.DCI.COM.BR | SÃO PAULO | 25 de Outubro de 2018

 

“Em setembro de 2018, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) registrou 224,9 mil reclamações de usuários. Os números representam redução de 37,5 mil queixas (-14,3%) em relação ao mesmo mês em 2017. Entre agosto e setembro deste ano, houve queda de 25,7 mil registros (-10,3%”).

 

As principais queixas foram em relação a cobrança e qualidade de serviços; por outro lado, tanto a telefonia móvel quanto a telefonia fixa e a TV por assinatura tiveram redução de reclamações nos últimos 12 meses.

A telefonia móvel registrou menos 27,6 mil reclamações (-21,5%); a telefonia fixa, menos 7,5 mil (-12,6%); e a TV por assinatura menos 5 mil (-14,5%). Já o serviço de banda larga fixa apresentou aumento de 2,6 mil reclamações (+6,3%) entre setembro de 2017 e setembro de 2018.

Especificamente na telefonia móvel, a Vivo apresentou redução de 8,2 mil reclamações (-29,6%); a TIM, de 6,4 mil (-13,7%); a Nextel, menos 4,6 mil (-53,8%); na Claro, menos 5,6 mil (-20,9%). No caso da Oi, a queda foi de 2,7 mil (-15,3%).

Sozinha, a telefonia móvel pós-paga registrou 33,7 mil (46,7%) queixas sobre cobrança; 7 mil (9,8%) sobre qualidade e funcionamento dos serviços; e 7 mil (9,7%) relacionadas a cancelamentos.

Já na modalidade pré-paga, foram 10,6 mil reclamações (37%) sobre créditos; 5,2 mil (18%), sobre ofertas, bônus e promoções; e 3,9 mil (13,6%) vinculadas a qualidade.

No mesmo período, o serviço de banda larga fixa registrou 15,7 mil reclamações divididas em qualidade e funcionamento (36,5%); 13,1 mil (30,4%) sobre cobrança; e 3,7 mil (8,6%), sobre cancelamentos.

Já a TV por assinatura registrou 14,9 mil queixas motivadas por cobrança (50,8%); 3,2 mil (10,8%), se referiam a problemas com cancelamento; outras 2,8 mil (9,5%) giravam em torno de ofertas, bônus e promoções.

 

Quanto custa um ERP?

Final da TV Analogica

Os pilares da Inovação de Marca