A insegurança é o medo que sentimos quando entendemos que nosso próprio “eu” (ego) está sendo ameaçado.

O medo é importante para nos alertar sobre os perigos reais, faz parte da nossa sobrevivência, mas o que acreditamos sobre nossa capacidade de lidar com os desafios, pode nos fazer enfrentá-los ou simplesmente nos paralisar. Muitas vezes a paralisação também significa um risco, e não estamos falando somente da ameaça física, mas também da vida profissional, como veremos mais adiante.

As pessoas podem, em geral, ser mais ou menos inseguras, dependendo de sua própria história: de como e onde foram criadas e de sua própria experiência a partir disso, favorecendo ou não o medo.

O que queremos, é cada vez mais enfrentar o medo e vencer desafios, esquecendo de entender quais são nossos desafios, quais nossas referências, quais as dificuldades que temos e nossas habilidades também. Estamos falando de CONHECIMENTO sobre o desafio em si (como, porque, o que, quando) e de AUTOCONHECIMENTO (forças, fraquezas, motivações e comparações). Aliás, devemos tomar um cuidado especial ao nos compararmos aos outros, pois histórias diferentes vão gerar resultados diferentes, em tempos diferentes e com formas de enfrentamento também diferentes.

Quando aplicamos isso à realidade profissional, percebemos que muitas vezes faltam metas profissionais ou até mesmo existe dificuldade de conciliar a carreira com as metas da empresa e sua cultura, o que influencia na maneira como as metas serão atingidas.

Se perdemos a referência do início do caminho, todo percurso será desastroso e inválido. Por isso, é importantíssimo entender o que realmente esperam de você e como isso deve ser feito. Inovações são bem-vindas, mas devem respeitar a cultura da empresa.

Da mesma maneira, o autoconhecimento nos guia a conquistar mais autoestima para trilhar o caminho dos ajustes e então da conquista, pois tendo a referência do que precisamos fazer, podemos mensurar o quanto nos falta (ou não) melhorar para realizar o desafio e concluir o resultado.

Assim paralelamente, no território do desconhecido entre a vida profissional e pessoal, vão se enfraquecendo o medo e insegurança a medida que se configuram conhecimento e autoconhecimento, aceitação da cultura (respeito à empresa) e construção da autoestima (respeito à você mesmo) e é com consciência e equilíbrio entre cada elemento que vamos viabilizando como atingir o objetivo da empresa, agora também nosso objetivo.

 

 

 

 

Quanto custa um ERP?

Final da TV Analogica

Os pilares da Inovação de Marca